terça-feira, 11 de outubro de 2016

Campanha nacional de vacinação contra febre aftosa e brucelose

A segunda fase da campanha nacional de vacinação contra febre aftosa e brucelose começa no próximo dia 1º de novembro, em São Paulo. Até o dia 30 do mês, os produtores rurais que possuem bovinos e bubalinos deverão imunizar o rebanho e depois fazer a comunicação sobre a aplicação para da Defesa Agropecuária até o dia 7 de dezembro por meio da apresentação das notas fiscais das vacinas.

Quem não vacinar o rebanho poderá arcar com multas de R$ 117,75, por animal, e de $ 70.75 no caso de não apresentar a documentação necessária de  comprovação da vacina. Fora isso, vários problemas podem ser gerados, como barreiras na comercialização do gado de corte e também do leite no caso de vacas.


Nesta fase da campanha, todo o rebanho deverá ser imunizado, o que representa quase 315 mil animais, em cerca de cinco mil propriedades, nos 18 municípios abrangidos pela Defesa Agropecuária de Guaratinguetá.

Há 19 anos o Estado de São Paulo não registra caso de febre aftosa e a meta é deixar a doença longe, evitando os prejuízos. A febre é causada por um vírus que não tem cura. Todos os animais infectados têm que ser sacrificados e enterrados na propriedade. No caso da brucelose, a vacinação deve ser feita para as vacas com três a oito meses e assegura a qualidade do leite comercializado na região.

SERVIÇO:
A Associação Agropecuária e o Sindicato Rural de Guaratinguetá realizam o prennchimento do controle de animais vacinados para seus associados durante o período da campanha.

Para solicitar o serviço, basta procurar um dos nossos escritórios e agendar o atendimento.


Nenhum comentário:

Postar um comentário